6 de jul de 2010

A Dama de Espadas

Então, o PT à última hora, na cartada derradeira, deu o blefe: mudou as cartas que tinha colocado na mesa eleitoral. Tirou o lance inicial e botou um coringa imaginário no seu lugar. Dizem que apostou menos em mais essa jogada de improviso. Se fosse pôquer, os mirolhos diriam que estava roubando. Esse negócio de carta na manga sempre pegou mal. Até nos piores antros da malandragem.


RODAPÉ - Não era pôquer; era compromisso político. O PT diz que se equivocou e entregou à Justiça Eleitoral um programa meio Porcina, aquela que foi sem nunca ter sido. Aí, tirou com a mão esquerda o que havia colocado com a sua forte e perigosa direita. Só não conseguiu esconder que Dilma tem dois programas de governo. Um para ganhar a eleição; outro para aplicar, se for eleita. Um blefe desses no carteado, armaria um barraco infernal; na política passa batido.

De qualquer maneira, o Garanhão de Pelotas, não se deixa iludir por golpes como esse. Está preparado para o que der e vier. Sabe que o PT vai jogar todas as fichas. Blefar é da sua natureza. Não quer dizer que uma nova aposta em cima da mesa, anule a jogada anterior. Dilma é a sua Dama de Espadas.