7 de jun de 2010

Parada Gay Desfalcada

De passagem por São Paulo, depois de assistir La Bohème no Teatro Cólon, em Buenos Aires, o Garanhão de Pelotas ainda teve tempo de mirolhar, antes de embarcar para Joanesburgo, nada menos da tomada da Avenida Paulista nesse colorido domingo por nada menos de 4 milhões de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais. Foi um arco-íris de ousadia e criatividade. Muitos desfilaram só de calcinha e sutiã ou de cueca.

Quase politicamente correta, a parada GLBT tinha um recado explícito: Vote contra a Homofobia: Defenda a Cidadania.

Se foi só por isso, a turma saiu do armário a troco de nada. Os candidatos ao Palácio do Planalto nem foram lá. Decerto pensam que o movimento, mais que contagiante, é pirotécnico. Com medo de saírem queimados, Dilma, Marina e Serra ignoraram quatro milhões de alegres eleitores.

Nem Serra, nem Marina, nem Dilma, nem Norma Bengel. Apenas dois alegres eleitores.