27 de jun de 2010

Aconteça o que acontecer. Seja lá o que Deus e o Presideus quiserem...

Em momento algum se duvidou que a seleção de Dunga pudesse ganhar a Copa Jabulani; em momento algum se terá qualquer dúvida de que esta foi uma das seleções de pior futebol do Brasil; em momento algum se esquecerá que a convocação do Dunga foi uma das maiores injustiças contra o futebol-espetáculo.

Nuncanessepaís foi tão grande o número de craques que ficaram de fora vendo os traques. Em momento algum quem não se chamar Jorginho terá qualquer sombra de dúvida sobre isso. Mas, acima de tudo quanto não resta menor dúvida, só uma dúvida resta quanto a tudo o mais: será uma vitória de Pirro, ou um presente grego?!?

MARADONA & DUNGA
Assim como a seleção de Maradona não é a Argentina, a seleção do Dunga não é o Brasil. Assim é que o Brasil, tanto quanto a Argentina, nunca esteve tão distante de ganhar mais uma Copa. Tanto faz como tanto fez que o campeão do mundo seja um, ou o outro.

ARGENTINA 1 a 3 MÉXICO

QUE RICO - Maradona de terno e gravata só não fica mais esquisito - mira que no es esquesito - do que o Tevez vestido de qualquer jeito.

BRONCA - Maradona, sem mais o que polemizar com o Brasil, reclamou para a imprensa que até agora não entende por que o Dunga só se emociona quando toca o Hino do Brasil nos estádios: - Los himnos de las otras naciónes, ni cantar él canta.

CORNETA - Aí, cutucou um poquinho mais antes que a bola rolasse contra o México: - Nadie acierta tanto cuanto Dunga con sus errores.

AUTORIA - O primeiro gol da Argentina, tocado de cabeça por Tevez de Notre Dame, foi feito pelo juiz.

MUI AMIGO - No segundo, o goleador Higuaín nem precisou de mais uma jogada de Messi, tabelou com o zagueiro mexicano.

BELEZA RARA - O terceiro gol da Argentina contra o México foi lindo. Horrível foi olhar o sorriso do Tevez de Notre Dame.

APOIO - O que seria do Messi em campo, se não fosse o Tevez meter medo nos adversários?!?

GOL LEGAL - Lá pelas tantas, o atacante Hernandez mexicou daqui, mexicou dali e meteu uma azeitona apimentada na empada dos argentinos. O árbitro não pode fazer nada: deu o gol.

CONFIRMAÇÃO - Verón entrou na metade do segundo tempo. Deixou uma certeza na torcida argentina: nada como Riquelme no meio de campo.

O OBSERVADOR - Como diria Jorginho sobre esta rodada no ouvido de Dunga: - Surpresa!... Ganharam os favoritos.