24 de ago de 2010

Tesoureiro do PT deu o pulo do gato

O tesoureiro da campanha do PT à Presidência, Zé de Filippi Jr. se fez de bobo e não juntou ao seu registro de candidato a deputado federal, os documentos exigidos pela legislação eleitoral.

Filippi havia sido acusado de ser "ficha-suja" pela Procuradoria Eleitoral, pois foi condenado por improbidade administrativa pelo Tribunal de Justiça, por contratar um escritório de advocacia sem licitação, quando foi prefeito de Diadema.


Porque não atendeu à exigência de apresentar as certidões da Justiça ao Tribunal teve a candidatura a indeferida pelo Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo. Não é que não soubesse do que poderia acontecer; sabia, sim. Foi pulo do gato. Achou que o tribunal exigiria dele apenas as credenciais que o foram suficientes para o PT lhe dar o cargo de tesoureiro do partido.

É só mais um Zé na quota petista de grandes quadros nacionais. Filippi Jr. poderá ainda recorrer da decisão. Aí, a coisa sobe para o Supremo. Lá o Ficha Limpa não é garantia de nada.