7 de ago de 2010

Os níveis da desinformação

Zé Serra, depois de não tocar o dedo nas feridas do PT no debate da TV Bandeirantes: "Estou muito contente com o debate, foi um programa em alto nível". Tão alto que a candidatura dele afundou.
Fernando Henrique, cutucado o tempo todo por Dilma no mesmo elevado debate deu o troco: "O PT cospe no prato em que comeu. É uma bobagem querer comparar políticas econômicas em momentos históricos distintos. Se eu não tivesse feito tudo para manter a economia no rumo certo, como o governo Lula poderia estar se jactando agora de que está se saindo bem ? E pulam a parte da história em que eles se opunham a tudo que hoje gabam, inclusive as bolsas". E foi além: "Eles não conseguem engolir que eu derrotei Lula duas vezes, e no 1º turno. Querem ir à forra, só que não tem jeito"

Dilma, gostando do jeito que o debate correu: "Quero cumprimentar a Band pela iniciativa. Foi um debate em alto nível".

Pelo visto, diante dos comentários que os próprios promotores fizeram no dia seguinte a respeito do debate que promoveram com os candidatos ao lugar de Lula, até a TV Bandeirantes estava vendo outro programa naquela hora. Vai que a emissora era um dos 28 pontos de Ibope que a Globo alcançou naquele horário contra apenas 4 da Band.

Os candidatos se fixaram em Saúde, Educação e Segurança. Isso não é pouco, mas é quase nada diante do rol de roupa suja que deveriam lavar em público, já que um encontro desses não tem nenhum sentido se não for para realmente esclarecer a nação: moradia, alimentação, previdência, vestuário, lazer, transporte, qualidade de vida, desigualdade salarial, social e política, des/honestidade, custo do aparato do Estado, gastos governamentais, cartões corporativos, carga de impostos, impunidade, in/justiça, crime oficial organizado, cinismo, desrespeito à lei, à ordem ao progresso, uso e abuso de poder, hipocrisia, mentira, loteamento de cargos públicos, compra de votos e de eleitores, compra e venda de julgadores, posse dos organismos de defesa do cidadão, corrupção, dossiês, tráfego de influência, aparelhamento do Estado, incompetência, engodo, traição, terceirização, sangussugas, vampiros, cvuequeiros, menssaleiros, propineiros, enriquecimento ilícito...

Os níveis que interessam aos políticos, certamente não são os mesmos níveis que interessam à população. No tal encontro na TV Bandeirantes, quinta-feira, os candidatos deixaram a nítida impressão de que não concorriam à Presidência da República e sim a um cargo de chefete de uma embaixada qualquer num paraíso desses que nos cercam.