27 de ago de 2010

Lula é o gato preto do PT que é 13

O Garanhão de Pelotas - nosso correspondente especial para assuntos de ocultismo, batuque, bruxaria, reza forte, anda pra lá de invocado com essa maré de azar que os ares governamentais vem soprando pra cima do mundo esportivo nacional.

Para ele, não é por nada que, em sendo lula, se pode ser um camaleão; nem por muito menos que, em sendo assim, se pode ser um gato, um gato preto. O Garanhão entende que não será por muito mais que lula é um camaleão, gato preto e pode muito bem estar com a macaca. Pondera que, em sendo assim, não é por nada que o número do PT é 13.

O nosso supersticioso nobre falido, garante que o Brasil - País do Futebol, vive a era do enguiço, da inhaca, da desdita.

Ele jura que time que sobe a rampa do Palácio, mesmo que entre lá com o pé direiro, parece que quebrou um espelho; jogador então, ainda que deixe um um vidro cheio de sal grosso no canto do gabinete, sai de lá como se tivesse passado por baixo de uma escada.

O Garanhão de Pelotas diz que, num simples átimo de tempo de um reles aperto de mão, a vida desanda. E ele alerta relembrando:  - O Corinthians foi parar na Série B; Ronaldo virou fenômeno de obesidade; Dunga, acabou aonde o diabo perdeu as botas e Ganso, no hospital.

Lá dentro do Palácio, ou até num gabinete itinerante, cada troca de passe, ou um simples cabeceio pra lá e pra cá, tem o peso de uma bolsa Kelly apoiada no chão: é prejuizo na certa, o dinheiro foge pelo ladrão - jura o Garanhão fazendo figa.

E pede atenção: - Olha só o que aconteceu com Ronaldo Fenômeno depois que andou dando cabeçadas lá na sala do Cara... Com Dunga, depois do bota-fora rumo à África do Sul... Com Guga Kuerten, depois de algumas raquetadas; com a peça pespegada na testa de Felipe Massa; com Rubinho Barrichello... Bom, aí já seria perseguição... E com o ministro do Esporte?!? Até tapioca caiu no colo dele!

O Garanhão avisa que Neymar depois do abraço e da foto, apenas perdeu mais um penalti. Por enquanto. E informa que seus assessores, porém, já tomam providências para uma possível visita do presideus à Vila Belmiro: decidiram deixar uma vassoura de cabeça para baixo atrás da porta.

Especuladores garantiram ao Garanhão que a turma que pratica esporte de qualquer modalidade no Brasil já está providenciando um estoque de plumas que serão usadas - quando Lula largar o osso da Presidência - em sessões quinzenais permanentes de cócegas na sola dos pés do Cara. A idéia é, mais do que fazer graça, provocar coceira: tradicional prenúncio de viagem ao exterior. Afinal, a Copa de 2014 e os Jogos de 2016 estão aí, quanto mais longe a urucubaca, melhor.

O nosso correspondente internacional informa também que há atletas - de todos os sexos e esportes - que andam tirando plantão à noite só para ver se enxergam uma estrela cadente para poder fazer um pedido. Claro que o desejo é segredo. Do contrário, o sonho não se realiza. Mas, há um ar de enorme coincidência entre os plantonistas quando se fala em convites para conhecer os corredores do Palácio do Planalto e seu mais ilustre habitante.

O Garanhão calcula que a essa altura, a orelha do Cara já deve ter esquentado de repente. Ele saberá então que alguém está falando mal dele. Só irá descobrir quem são seus detratores se passar a ter sintomas de azia. E, então o nosso relator antecipa: - Dessa ele não vai se livrar tão cedo, pois o contraveneno indicado é morder o dedomindinho da mão esquerda. Esse seria o único jeito de fazer os faladores morderem a própria língua.

Sabe aquela sensação de espelho quebrado, lá de cima, no início desse freela do Garanhão? Livre-se logo dela, pois se você ficar olhando o reflexo partido vai ser pior: você vai se sentir como se tivesse quebrado a própria alma. Vai ter sete anos de azar - só um a menos do que dois mandatos seguidos.

Da parte de Paulo Henrique Ganso, ainda não se sabe nada. Ele está de quarentena, mas no que toca a Neymar, seu empresário já lhe disse para usar os meiões do lado avesso no próximo jogo. É sinal que boas notícias estão por chegar.

Pode ser o Zagallo chegando com um contrato milionário para o garoto ir jogar em Astana, capital do Cazaquistão - alegra-se o otimista Garanhão de Pelotas.