25 de ago de 2010

Pior do que tá não fica!

A estratégia de Lula da "coalizão pela governabilidade" está a caminho de dar certo, uma vez mais. Michel Temer - o vice engolido inteiro por Dilma para ganhar a corrida até o Palácio - já avisou que, em chegando lá, quer "o poder repartido meio a meio".

Nuncanahistoriadessepaís, um presidente garantiu com tanta solidez o seu retorno ao cargo quatro aninhos depois. Michel Temer vai engolir Dilma e banquetear-se na Câmara, no Senado, nos ministérios, nas estatais, nos tribunais, nos clubes de futebol, nas ONGs, nas igrejas e no governo de um modo geral. É o prato-feito que Lula Da Silva precisa para voltar aos regabofes palacianos em 2014.

Dilma não vai poder andar pelo mundo, como Lula andou, bancando a estadista que gostaria de ser, em jantares que gostaria de comer. Cada viagem além fronteiras significa uma posse automática de Temer na sua cadeira.

Cada sentada será um ato novo de governo, a chamada bola nas costas, com carimbo, assinatura e selo oficial do vice em exercício de seus plenos direitos de presidir o Brasil Da Dilma.

E, então, vale o que propala o grande filósofo aliado de Dilma, o candidato a deputado Tiririca: "Pior do que tá, não fica". O Brasil de Temer será em 2014, o Brasil Da Silva de novo.