23 de set de 2010

Mano Menezes favorece Santos no Brasileirão

Mano Menezes é mesmo o substituto de Dunga. Não convocou Neymar sob alegação de que "ele precisa voltar às regras e, então, certamente isso o trará à Seleção Brasileira".

Para Mano, a CBF é uma espécie de Presidência da República do Futebol. Bolas, tendo o presidente que o Brasil tem, que bobageira é essa de "seguir as regras"?!? Neymar, não fez nada mais nada menos do que seguir, timidamente, o exemplo que vem do Palácio do Planalto: arrepiou as regras e a ordem, mas muito de leve, nem de longe parecido com o exemplo que veio de cima e o atingiu.

Mano Menezes não puniu Neymar. Ao contrário, livrou o garoto de se misturar nessa Seleção de Turismo que nem sabe se vai jogar alguma partida até voltar para casa. E, se jogar, vai ser um amistoso contra o Arrancatoco F.C.

Mano Menezes puniu, isto sim, os adversários do Santos que, em pleno Brasileirão, vão ter que enfrentar a fúria de bola e o mais completo repertório de joagadas do mais promissor jogador de futebol que apareceu no Brasil nesses últimos anos quase pós-Ronaldinho Gaúcho.

Bom para quem fica em casa e pode ver o Neymar jogar em 3D  na TV - já que uma sala é mais confortável e segura do que qualquer estádio nesse país. Basta desligar o som da televisão para desgalvanizar o ambiente que o programa é perfeito. O mercado da pipoca vai entrar em alta nos dias de Neymar contra qualquer time, em qualquer rodada pelo campeonato brasileiro.

De tudo isso, Neymar só precisa aprender uma lição: nunca mais abraçar nem tirar fotos com o torcedor de mais pé-frio mais gelado que já existiu na centenária historia do Corinthians.