21 de set de 2010

LEI DO MAIS FORTE
É comomovente o empenho dos institutos de pesquisas de opinião eleitoral para mostrar que as denúncias contra o governo não causam nenhum efeito na campanha de Dilma. Sem revelar até hoje com precisão a faixa social em que as enquetes são realizadas, os institutos fazem bem ao fígado de seus patrocinadores. A estratégia surte efeito, já que a mídia dá efeito multiplicador aos números apresentados e o público se deixa levar pelo velho espírito da lei do mais forte; pela tendência natural de sempre acompanhar os "vencedores". O povo gosta de ser submisso, de ser mandado; precisa ter patrão.

PROIBIDO PROIBIR
A OAB quer impedir a exposição da série "Inimigos" na 29ª Bienal de São Paulo. A obra é do artista plástico pernambucano Gil Vicente. Traz um conjunto de imagens do próprio artista executando personalidades como o presideus Lula da Silva, Fernando Henrique Cardoso, George W. Bush, Ariel Sharon e o Papa Bento XVI. Agnaldo Farias, um dos curadores da Bienal, não se conforma com a atitude da OAB: "Claro que isso é um exagero, um absurdo, um retrocesso. O fato de partir da OAB é ainda mais desalentador". Farias garante que a série será exposta. "Dizer que se trata de uma apologia à violência é o mesmo que dizer que Édipo Rei incentiva o parricídio e o incesto". É proibido poibir. Se, de fato é incitação à violência, o Código Penal pode muito bem tratar disso. Por enquanto, deixa expor... Cadê a prova, cadê?!?

AMAPÁ
Pedro Paulo Dias, depois de mais de uma semana de cadeia, voltou ontem ao governo do Amapá. E voltou nos braços do povo. Taí ó, quanto mais denúncias, quanto mais acusações, mais popularidade.
Mais de mil funcionários fantasmas estavam à espera do governante ideal no aeroporto de Macapá. A terra do manganês e de Sarney, merece.

REVOLTA
Nem a natureza aguenta mais o que os políticos fazem com Brasília. E olha que eles não são filhos da terra. Eles vem de todas as partes do Brasil. Vem aí da sua cidade, do seu estado. Ficam por Brasília de terça a quinta-feira e retornam sempre, lépidos e faceiros, para as suas "bases eleitorais", onde aprenderam a arte e manha de não terem medo de ser felizes. Agora, o Distrito Federal está em estado de emergência pela seca. Um incêndio de enormes proporções já consumiu 25% do Parque Nacional de Brasília. Há 115 dias não chove e a secura favore incêndios. As chamas de verdade ainda não atingiram a Câmara Distrital nem o Palácio Buriti. Mas a natureza está revoltada. Sempre resta alguma esperança...

MOTIVO NADA FÚTIL
Mais de um ano depois, a Polícia Civil pediu, nesta segunda-feira, a prisão preventiva de cinco suspeitos de envolvimento na morte do ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) José Guilherme Villela, de sua mulher, Maria Carvalho, e da empregada Francisca Nascimento da Silva. Entre os suspeitos está a delegada que primeiro investigou o crime, Martha Vargas. O pedido feito ao Ministério Público atinge a filha do casal, Adriana Villela, essa delegada Martha, o policial José Augusto Alves, a vidente Rosa Maria Jaques e o marido dela, João Tochetto.O ministro, a esposa e a empregada foram assassinados com 73 facadas em 28 de agosto do ano passado no apartamento onde moravam, situado numa quadra nobre de Brasília. O crime não teve nada a ver com questões políticas, nem eleitorais. Foi cometido por um motivo nada fútil para os padrões morais de hoje: um patrimônio de R$ 10 milhões. Uma loteria de segunda-feira.

AH, BOM...
Dilma, enfim, contou uma "novidade" e fez uma declaração de peso: "Ninguém sabe tudo no governo". Isso tem que ser bem analisado pelos contribuintes que, de vez em quando, votam.

Como assim, "ninguém sabe tudo no governo"? Quer dizer então que o governo que indica, nomeia, terceiriza ministérios, cargos em comissão, assessorias aos borbotões, não controla o que a sua gente escolhida a dedo anda fazendo por aí? Quer dizer então, que Lula não estava dissimulando quando fez cara de paisagem para o Mensalão e disse que não sabia de nada? Quer dizer que ela mesma, dona Dilma, não está nos passando pra trás quando garante que não sabia o quê e quem era a famiglia Guerra? Quer dizer que ninguem sabia da turma do Amapá, do bando de aloprados, dos dossiês, dos cuequeiros, dos sanguessugas?!? Ah, bom.

O OUTRO
Só há uma salvação para um eventual governo de Lula no ano que vem: o PT ultrapassar o número de candidatos eleitos pelo PMDB. Com a maioria no Congresso Nacional, o PT vai tirar metade da empáfia que os peemedebistas tem de ser um partido feito para estar em segundo lugar em todo e qualquer governo desse país. Se não for assim, quem vai governar é o PMDB ao invés de dona Flor e seu falecido marido trabalhador.