16 de abr de 2010

HAI-KAI & ESPARRELA

Hoje é dia da letra B... (mas tem o C também)...

Banheiro
Ó, triste sina...
Ser poeta da porta
D’uma Latrina.

Bichos
Basta de gente!
E dos bichos... Prefiro
Cachorro-quente.

Bissexualismo
O bem-dotado
Sorria das lésbicas...
Pro namorado.

Burrice
Burro com poder
Vira autoridade
Mesmo sem saber.

BESTA HUMANA
A vida me deu tempo de perceber que quando o homem se transforma numa besta magnífica, se dá o direito de viver como um homem. Às vezes até como um governante.

Hora e vez da Letra C

Calminho
Não há conflito.
Só brigo quando estou
Muito aflito.

Capitalismo selvagem
Gangues exultam:
Os seus executivos
Só executam.

Capitalista Selva de Pedra
É enfático
Gosta de caçar Tigre
Asiático.

Cara limpa
No bar, contavas,
(cara limpa) mentiras
Bem deslavadas.

Catástrofes
01.
Eram fêmeas,
Morreram como duas
Torres Gêmeas.
02.
Bom de conhaque,
Bush toma o mundo
Pelo Iraque.
03.
O bom de cana
Entregará o Brasil
Para Havana.
04.
O céu é saco!
Não cabe Operação
Tapa-buraco.
05.
Ver estrelinhas.
Enquanto o carro cai...
Nas entrelinhas.

Censura
01.
Todo sinete
De ditador tem cheiro
De Alcagüete
02.
Na ditadura
Você não diz nada, mas
Sofre censura

Chulo
Nada é igual
Ao palavrão: - Trocar cocô
Por bolo fecal?!?

Coalizão
Nenhum embargo.
Os burros já tomaram
Nossos cargos.

Corrupção
01.
Já nem suspiro...
Morre um sanguessuga;
Nasce um vampiro.
02.
Não foram meias:
O PT trocou cuecas
Por urnas cheias.
03.
Não é calote
Lixo só virou luxo
Para Palocci.
04.
Coisa rara,
O PT de cueca
Mostrou a cara.
05.
Abençoados
Pastores de dinheiros
Deslavados.
06.
PT não criou
A corrupção geral...
Sistematizou.
07.
Viva sem vintém,
Dinheiro na cueca
Nunca cheira bem!

CAPITALISMO
Capitalismo não é, nada mais nem menos, do que uma forma de sociedade onde as pessoas possuem as coisas das outras pessoas. Não necessariamente tomando-as na mão grande. Às vezes é à boca pequena. Outras tantas, por herança e sorte grande. No capitalismo, o que as pessoas mais compram é a mão-de-obra de preço mais barato. Com isso, as pessoas vendem para as outras pessoas, pelo preço mais alto, o que as próprias pessoas fizeram quase de graça.