12 de jul de 2011

NIHIL
O Garanhão de Pelotas  tem seus dias de desencanto e de abandono. No entanto, filósofo contemporâneo por vocação, seu temperamento latino não lhe permite ser niilista. Para ele nada pode nascer do nada, nem nada pode converter-se em nada.