29 de out de 2010

PÃO E CIRCO - Há mais de dois anos Lula não preside o Brasil, tem sido apenas um reles artista de palanque. Vem dando espetáculo pelo país afora. Quando, ao invés de folha de flanderes, a cobertura do palco é de lona, percebe-se claramente que quem dá pão e circo é o Tiririca de Dilma.

MIMO DIVINO - Em seu aniversário de 65 risonhas primaveras Lula pediu ao povo que lhe dessem de presente "a Dilma presidente". Pobre nação aquela em que a Presidência da República não passa de um mimo pessoal. Não é o caso do Brasil. Aqui, seria um mimo divinal.

EM PÉ DE GUERRA - A porção arquivo de Erenice, em pé de Guerra, já avisou que se for abandonada pelo PT e pelo governo vai chutar o balde, o pau da barraca, botar a boca no trombone e dizer tudo o que sabe. Ela que tome tento, pode ser chutada antes que a Casa Civil seja reconstruída. E quem nasceu para administrar a Minha Casa Civil, Minha Vida nunca chegará a Celso Daniel nem a Toninho do PT. Pensando bem, Erenice não é um arquivo-morto, é um dossiê-vivo.

PREFERENCIAL - Ninguém lembrou ao presideus Lula que, com 65 anos de idade, ele tem lugar preferencial nas filas de banco, supermercados, cinemas; e direito a andar de ônibus e metrô de graça. Uma falha do cerimonial, já que a partir de 1° de janeiro ele será um mísero portador de quatro ou cinco aposentadorias e pensões. E um cartão corporativo.

SEM O 11° - O Ficha Limpa é, desde que nasceu, um projeto de calças curtas que chegou ao status de lei vestindo saia justa. Hermafrodita, com sua vocação híbrida e sado-masoquista, bate em alguns e apanha de outros. Collors, Renans, Sarneys, similares e genéricos são ficha limpa. O douto Supremo Tribunal Federal, desmancha-se em retórica em cima de um texto mais furado que barriga de carioca por bala perdida. E tudo termina empatado. Isso é fatal numa corte em que ninguém tem coragem de assumir sua porção Minerva. Assim, o impasse predomina porque Lula, uma vez mais, fugiu à responsabilidade do cargo que abandonou para ser cabo eleitoral. Daí, por razões eleitoreiras, ou por medo de perder a parceria com o PMDB, deixou de nomear o 11° ministro para o lugar de Eros Grau que saiu do tribunal por velhice.

SOBERBOS NO DF - O Ficha Limpa até agora serviu mesmo foi para o PT em Brasília. Até que enfim, o PT conseguiu dar o bote no governo do Distrito Federal. Não é que se deva lamentar a derrota de Roriz, mas é que a vida em Brasília vai voltar aos velhos tempos do "você sabe com quem está falando?". A empáfia dos petistas terceirizados é insuportável. Nada pior que a soberba de um desqualificado.

ERRADOS, DE NOVO - Mesmo que Zé Serra não ganhe, os institutos de pesquisa estarão redondamente enganados mais uma vez. Dilma não ganhará nada; nem será a primeira-presidente do Brasil. Será a primeira-Dona Flor e seus dois maridos. Vai conviver com o bafo de Lula na nuca e os cutucões de Michel Temer por baixo dos panos. Vai ser a raínha da Inglaterra no Brasil.

EMBRETADOS - Os que defendem a candidatura de Serra e abominam a postulante Dilma estertoram com o aborto e apelam até para o Papa nesses momentos finais do segundo tempo dessa prorrogação que já deu o que tinha que dar. Deixam de lado o que mais importa ao perfil de um candidato a presidir o Brasil: o caráter. No domingo, os brasileiros vão decidir mesmo é se querem um Brasil inteligente ou um Brasil esperto. Um brete, afinal, ao longo de toda essa campanha tanto um quanto o outro foi mais esperto do que inteligente.

TEMPO CURTO - Quando se diz que o Brasil vai ser um desastre com Dilma, não se está dizendo que com Serra vai ser um paraíso. O bom disso tudo aí é que, em ambos os casos, o período vai ser curto. Não haverá reeleição. Lula e Aécio não deixarão.