26 de out de 2010

Enquete Jovem Pan tira o sono de Lula

Quem conhece o Garanhão de Pelotas, nosso correspondente para assuntos de informação eletrônica, virtual, escrita e tátil, sabe que ele - apesar da internet - ainda defende o rádio como o mais forte e instantâneo fenômeno de comunicação social.

É por isso mesmo que, fiel a seus princípios, o Garanhão - como diria Dilma - "repudia" as pesquisas científicas e encomendadas dos institutos que vasculham em nome de seus donos a opinião pública e louva, dá graças e a todos os santos às enquetes como a que foi feita nesta terça-feira pela rádio Jovem Pan. Uma enquete, aos moldes do bom e velho rádio e, em conformidade com o Artigo 21 da Resolução 23.190 do Tribunal Superior Eleitoral... Um mero levantamento de opinião, sem controle de amostra, não utilizando - praza aos céus! - método científico para a sua realização.

A pesquisa da Jovem Pan, feita em lugares onde não se realizará o segundo turno para governador, foi realizada em 12 cidades do Brasil, repercutindo seu som pelo âmbito de sintonia regional e nacional de cada emissora posta a serviço do público eleitor.

A enquete era muito simples. O eleitor telefonava para a emissora, dava seu primeiro nome e o bairro de onde estava falando e revelava o nome do candidato em que votará no domingo que vem para presidente da República. Deu nisso aí. Acredite quem quiser. O Garanhão de Pelotas acha que Lula não vai dormir tranquilo.

São Paulo SP - Serra 86,7% - Dilma, 13,3%
Joinville SC - Serra 83,3% - Dilma 16,7%
Porto Alegre RS - Serra 33,3% - Dilma 67,7%
Maringá PR - Serra 80% - Dilma 20%
Campo Grande MS - Serra 66,7% - Dilma 333,3%
Rio de Janeiro RJ - Serra 80% - Dilma 20%
Belo Horizonte MG - Serra 56,7% - Dilma 43,3%
Vitória ES - 50% - Dilma 50%
Salvador BA - Serra 60% - Dilma 40%
Recife PE - Serra 36,7% - Dilma 63,3%
Fortaleza CE - Serra 23,3% - Dilma 76,7%
São Luiz MA - Serra 90% - Dilma 10%
Manaus AM - Serra 76,7 - Dilma 23,3%.

Moral da história - O resultado da enquete radiofônica, mais natural, mais direto, menos científico e completamente diferente do que mostram as pesquisas piores do que a encomenda dos ungidos institutos de furungação da opinião eleitoral. Mais ainda, deixam claro que a turma do Serra é mais atenta e tem mais tempo para telefonar que o pessoal descuidado da Dilma. E, para encerrar, deixa mais do que evidente que política no Brasil é uma caixinha de supresas: Serra e Dilma, não são Pelé. Podem errar feio, como o Neymar.

RODAPÉ - A rádio Jovem Pan seguiu a legislação eleitoral cujo texto a respeito diz que os resultados de enquetes ou sondagens não são uma pesquisa eleitoral, mas um mero levantamento de opiniões, sem controle de amostras, não utilizando método científico para a sua realização, e dependendo apenas da participação espontânea das pessoas.

A Jovem Pan reuniu uma rede de emissoras em 13 das principais cidades brasileiras e ouviu a população sobre a eleição para presidente da República. Os resultados obtidos pela Jovem Pan em Manaus, Rio de Janeiro, São Luís do Maranhão e Salvador apresentaram profundas diferenças com o que aconteceu na apuração da eleição do primeiro turno. Em Minas Gerais, Serra teria dado a virada que Aécio vem prometendo.

O Garanhão de Pelotas, radiomaníaco desde criancinha, exulta ao constatar que os microfones do rádio foram mais uma vez abertos para o direito fundamental e constitucional do povo dar a opinião. Um direito que vem sendo cerceado pelo poder da lei eleitoral que os políticos inventaram.