18 de mai de 2010

O PADRE BEBUM E A INJEÇÃO

Sempre que anda por São Paulo, o Garanhão de Pelotas se depara com coisas do arco da velha. Agora foi essa bagaceirada do padre que, caindo de porre foi surpreendido pela polícia dentro de seu carro, sem batina e sem mais nada a não ser os badalos. 

O Garanhão chegou à brilhante conclusão de que o padre não gosta de usar buzina, prefere badalar para chamar a atenção no meio desse trânsito paulista, doido de dar com um pau.

O nosso furungador repórter eventual, quis saber detalhes sobre a ocorrência que chegou a ameaçar o factóide do acordo de Lula com Ahmadinejad em Teerã. Ficou logo sabendo que se trata do padre Silvio Andrei Rodrigues, de 40 risonhas primaveras. Figura pra lá de conhecida por suas apresentações na emissora católica TV Canção Nova.

E o Garanhão foi mais fundo: soube que Rodrigues é sacerdote de uma paróquia no Ipiranga, zona sul de São Paulo. Ele estava em Londrina - onde atuou por mais de dez anos. Foi lá para celebrar um casamento. Provou mais que o vinho do altar. Encheu a cara.


Aí, deu no que deu. Andava na gandaia por Ibiporã, plena região metropolitana da cidade onde fora praticar o ato religioso, quando foi flagrado pela patrulha da zona. Só não babava no colarinho branco porque estava dirigindo pelado, leve e solto, mas foi logo sendo acusado de corrupção ativa, ato obsceno e embriaguez ao volante.

Ao ter acesso ao auto de prisão, o Garanhão de Pelotas viu que os PMs juram por tudo que é mais sagrado que Silvio Andrei ofereceu R$ 490 para não ser preso, que estava embriagado e que havia uma garrafa com cachaça no carro.

O queixo do Garanhão quase caiu quando soube que o padre é acusado também de propor sexo oral a um PM ao ser abordado quando dirigia vestindo apenas uma camisa.

Quando o advogado do padre, Zé Adalberto Cunha apareceu o Garanhão de Pelotas se aproximou e conseguiu ouvir as primeiras justificativas repassadas para o delegado: - O meu cliente retirou a batina porque vomitou. Ele toma antidepressivos e bebeu vinho no casamento, perdeu a memória, passou mal e vomitou.

Reprodução/cancaonova.com
Tanto perdeu a memória que esqueceu de uma garrafa de pinga no banco do carro. Mas, advogado que é advogado, não perde tempo. Zé Adalberto já esboçou a tese de defesa: o padre foi acometido de uma crise de hipertesão e decidiu seguir à risca a receita do ínclito Zé Temporão, discípulo da Saúde de Lula. Como os sintomas não persistiram, o padre já está fora das grades.

Para se livrar da ressaca do quase coma alcoólico, aplicaram-lhe uma injeção de glicose. Padre Silvio não reclamou da picadura.